Sou uma observadora nata das pessoas, dos lugares, das coisas do cotidiano... Sorrio, choro, me emociono, me deixo levar pelo mar de sentimentos que a vida tem a oferecer... Às vezes chata, às vezes insuportável, mas, às vezes, uma flor de pessoa, amável e delicada. Sou uma constante inconstante.. Sempre mais do mesmo, mas o mesmo diferente a cada dia... Quando tudo parece perdido, despedaço-me e renovo-me como a natureza para sentir-me novamente forte... Sou menina moleca, mãe dedicada, mulher serena, rebelde sem causa, despida de preconceitos e pré-noções... Sou um misto de várias coisas por aí que fazem de mim, simplesmente, Aline.

terça-feira, 29 de março de 2011

A última pedra

Por Roberto Shinyashiki 
Existem pessoas que não prestam atenção no que fazem e depois passam a vida inteira arrependidas pelo que não fizeram, mas poderiam ter feito, e se martirizam por seus erros.
Gosto de uma música que Frank Sinatra costumava cantar, My way. O curioso é que só fui prestar atenção na letra dessa canção quando escrevia este texto. Ela diz mais ou menos assim: “Se eu acertei ou se errei, fiz isso da minha maneira”.
Quando olho para trás, percebo que fiz muitas bobagens. Acertei bastante, mas também errei bastante. Quando olho para diante, tenho certeza de que vou acertar e errar bastante também. É impossível acertar sempre. Mas o importante é que não gastemos nosso tempo nem nossa energia nos torturando. A autocrítica pelo que não deu certo, além de ser nociva para a saúde, faz que a gente perca os passarinhos que a vida nos oferece no presente.
Um dia destes, um dos meus filhos me perguntou por que eu tomei determinada decisão estúpida tempos atrás. Respondi que me arrependia do que tinha feito, mas expliquei que, naquele momento, minha atitude me parecia lógica. Se eu tivesse o conhecimento e a maturidade de hoje, certamente a decisão seria diferente.
Por isso é que lhe digo: não se torture por algo que não deu certo no passado. 
Talvez você tenha escolhido a pessoa errada para casar. 
Talvez tenha saído da melhor empresa onde poderia trabalhar. 
Talvez tenha mandado uma filha grávida embora de casa. 
Não importa o que você fez, não se torture. 
Apenas perceba o que é possível fazer para consertar essa situação e faça. 
Se você sente culpa, perdoe-se. 
E, principalmente, compreenda que agiu assim porque, na ocasião, era o que achava melhor fazer.

Há uma história de que gosto muito: um pescador chegou à praia de madrugada para o trabalho e encontrou um saquinho cheio de pedras. Ainda no escuro começou a jogar as pedras no mar. Enquanto fazia isso, o dia foi clareando até que, ao se preparar para jogar a última pedra, percebeu que era preciosa!
Ficou arrependido e comentou o incidente com um amigo que lhe disse:
– Realmente, seria melhor se você prestasse mais atenção no que faz, mas ainda bem que sobrou a última pedra!
Existem pessoas que não prestam atenção no que fazem e depois passam a vida inteira arrependidas pelo que não fizeram, mas poderiam ter feito, e se martirizam por seus erros. Se você está agindo assim, deixo-lhe uma mensagem especial: não gaste seu tempo com remorsos nem arrependimentos. Reconheça o erro que cometeu, peça desculpas e continue sua vida.
Você ainda tem muitas pedras preciosas no coração: muitos momentos lindos para viver e muitos erros para cometer.
Aproveite as oportunidades e curta plenamente a vida. 
Curta os passarinhos. Eles são os presentes do universo para você!

Roberto Shinyashiki é psiquiatra, palestrante e autor de 12 títulos, entre eles o “Tudo ou Nada” lançado este mês, “Heróis de Verdade”, “Amar pode dar certo”, “O sucesso é ser feliz” e “Carícia essencial”.


segunda-feira, 28 de março de 2011

Niver... Mãe!

Hoje é um dia muito especial. É o aniversário da minha mãezinha querida.
Agradeço muito por tudo o que ela me fez e faz até hoje por mim. Sem ela, com certeza, eu não teria conseguido tantas das coisas que eu consegui. 
Muita saúde, paz, amor harmonia e milhões de abraços apertados
Te amo muito!!!
Mãe...
Tão sensível coração
E tão forte quando é preciso,
Dá a vida em prol do filho
No momento decisivo,
Por isso mesmo ser mãe
É padecer no paraíso.

Como mulher és exemplo
Como mãe és uma santa,
Teu carinho, teu amor
O mundo inteiro encanta,
Agora vou encerrar
Sinto a voz embargar e ficar presa à garganta.


sexta-feira, 25 de março de 2011

“Tem dias que a gente se sente
Um pouco, talvez, menos gente
Um dia daqueles sem graça
De chuva cair na vidraça
Um dia qualquer sem pensar
Sentindo o futuro no ar
O ar, carregado sutil
Um dia de maio ou abril
Sem qualquer amigo do lado
Sozinho em silêncio calado
Com uma pergunta na alma
Por que nessa tarde tão calma
O tempo parece parado?”
(Raul Seixas)
Como na letra do Raulzinho, hoje não estou nada bem. Parece que o mundo está cinza, nada atraente, nada tem graça. Sinto-me um tanto vazia, com uma sensação de inutilidade, de fracasso... Porque as pessoas tendem a cobrar tanto de nós? Porque elas não entendem as nossas particularidades? Porque teimam em querer que sejamos iguais e com as mesmas proporções de desejos e carências?
Estou cansada de querer me adaptar, de ser a errada da história. Estou cansada de ser sempre a culpada, a insensível, a desalmada. Não sou tão ruim assim. Não mereço carregar eternamente a carapuça monstruosa que me puseram.
Tá, eu sei... para um bom relacionamento temos que abrir mão de algumas convicções, ceder de vez em quando. Mas ser julgada o tempo todo é que não dá. Eu tenho uma personalidade forte, é a minha essência. Já mudei tanto e não sou reconhecida, sempre só me apontam os defeitos... e eu estou chegando no meu limite...

quinta-feira, 24 de março de 2011

Recordar é viver

Dia desses estava eu lendo, no blog da Dama de Cinzas, um post no qual ela dizia que não gostava de pessoas saudosistas, daquelas que ficam relembrando o passado, achando que tudo de antigamente era melhor do que os dias de hoje. Pois bem, eu sou saudosista sim! Tirando a internet (e tudo que essa maravilha proporciona) acho que as coisas do passado são bem melhores COM CERTEZA. E eu não tenho vergonha de assumir: gosto das coisas do fundo do baú MESMO.
Pensando nisso resolvi fazer um post com algumas das minhas preferências pra recordar um pouquinho. Aí vai.
Brinquedos:
·                  Boneca Feijãozinho

·                  Pequeno Engenheiro

·                  Bonecas de papel

Desenhos:
·                  Caverna do Dragão

·                  Os Smurfs

·                  Os Jetsons

Jogos:
·                  Super Mário

·                  Sonic

·                  Alterd Best

Seriados:
·                  Punky a Levada da Breca

·                  Barrados no Baile

Novelas:
·                  Top Model

·                  Vamp

 Filmes:
·                  Curtindo a vida adoidado

·                  Edward – Mão de tesoura

Bandas Nacionais:
·                  Legião Urbana

·                  Titãs

·                  Engenheiros do Hawaii

Bandas internacionais:
·                  Led Zeppelin

·                  Black Sabbath

·                  The Doors

Pop Anos 80:
·                  A-Há

·                  Madonna

·                  Cindy Lauper

Vou parando por aqui porque esse assunto daria um Blog inteiro. O fato é que AMOOO todas essas coisas. Era um tempo mágico. Quem é desse tempo sabe. Muuuuuito bom.
E já que estamos nesse clima, aí vai uma musiquinha daquele tempo pra recordar: http://www.4shared.com/audio/CeOOqG5c/I_Dont_Wanna_Dance_-_Edie_Gran.htm


terça-feira, 22 de março de 2011

Amor próprio

Acabei de receber um email de uma amiga minha no qual ela dizia que tinha ficado com um cara que ela gosta já faz um bom tempo. Há mais de um ano ela sai com esse rapaz, mas ele já deixou bem claro que não quer nada com ela, que se for pra ficarem, só se for esporadicamente, quando se encontrarem em alguma balada, disse que não quer compromisso, não quer ter amarras, não quer ninguém no pé dele controlando ou regrando a sua vida.
Ela diz que só fica com ele pra matar a carência, mas seus olhinhos brilham quando fala dele. Dentre os MILHARES de defeitos do dito cujo, ela só consegue enxergar uma ou duas qualidades e essas qualidades, pra ela, o fazem ser o MÁXIMO. Todos os dias ela me pede conselhos e eu tento mostrá-la o que ele faz de ruim, as atitudes desastrosas que ele toma em relação a ela. Tudo em vão. Ela não vê.
Fico aqui pensando: o que leva uma mulher bonita, bem sucedida, inteligente se sujeitar a esse tipo de situação. Onde está o amor próprio? Será mesmo que vale a pena seguir àquele ditado que diz: “enquanto o certo não vem, vou curtindo com os errados.”? Isso não seria um desrespeito a si próprio? A meu ver, sim. Prefiro “estar só do que mal acompanhada.”
Ela me pergunta por que uma mulher atraente que tem o que quer só não consegue ter um amor de verdade. Eu acho que enquanto não nos amarmos e nos aceitarmos, ninguém fará isso por nós. Não adianta querer que as pessoas nos admirem se nós mesmos nos deterioramos. Pena que ela não entende...
O amor-próprio é um animal curioso, que consegue dormir sob os golpes mais cruéis, mas que acorda, ferido de morte perante uma simples beliscadura.”



segunda-feira, 21 de março de 2011

Amizade


Houve uma vez dois amigos: 
 Eles eram inseparáveis, eram uma só Alma. Mas por alguma razão seus caminhos tomaram dois rumos distintos e se separaram. 


E ISTO INICIOU ASSIM: 
Eu nunca voltei a saber do meu amigo até o dia de ontem, depois de 10 anos, que caminhando pela rua me encontrei com a mãe dele.  
A comprimentei e perguntei por meu amigo. Nesse momento seus olhos se encheram de lágrimas e me olhou nos olhos dizendo: 
-Morreu ontem... 
Não soube o que dizer a ela, ela seguia me olhando e então perguntei como ele tinha morrido. 
Ela me convidou a ir a sua casa, ao chegar ali me chamou para sentar na velha sala onde passei grande parte de minha vida, sempre brincávamos ali, meu amigo e eu. 
Me sentei e ela começou a contar-me a triste história. 
Fazia 2 anos que diagnosticaram uma rara enfermidade, e sua cura dependia de receber todo mês uma transfusão de sangue durante 3 meses, mas... Recorda que seu sangue era muito raro? 
Sim, eu sei, igual ao meu... 
  
Ele dizia que da única pessoa que receberia sangue seria de ti, mas não quiz que te procurássemos, ele dizia todas as noites: 
-Não o procurem, tenho certeza que amanhã ele virá... 
Assim passaram os meses, e todas as noites se sentava nessa mesma cadeira onde estás tu sentado e orava para que te lembrastes dele  e viesse na manhã seguinte. 
Assim acabou sua vida e ontem na última noite de sua vida, estava muito mal, e sorrindo me disse: 
-Mãe, eu sei que logo meu amigo virá, pergunta pra ele por que demorou tanto e entrega a ele esse bilhete que está na minha gaveta. 
A senhora se levantou, regressou e me entregou o bilhete que dizia: 
Meu amigo, sabia que virias, tardastes um pouco mas não importa, o importante é que viestes. Agora estou te esperando em outro lugar, espero que demores a chegar aqui, mas enquanto isso quero dizer desde o céu tens um amigo cuidando de ti, meu querido melhor amigo. Ah, por certo, te recordas porquê nós nos distanciamos? Sim, foi porque não quiz te emprestar minha bola nova, rsrs, que tempos heim... Éramos insuportáveis, bom pois quero dizer que te dou ela de presente e espero que gostes muito. Amo você! Teu amigo de sempre e para sempre! 



  "Não deixes que teu orgulho possa mais que teu coração... 

A amizade é como o mar, se vê o princípio mas não o final..." 


Desconheço o autor, mas é um ótimo texto para refletirmos sobre as nossas atitudes. O é realmente importante para as nossas vidas?

sexta-feira, 18 de março de 2011

Esperança

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...
Mario Quintana

quarta-feira, 16 de março de 2011

O dia que a culpa me pegou...

Ontem, na volta da faculdade, aconteceu-me um episódio que me deixou muito reflexiva.
Como de costume, tomei um ônibus que nem sempre vem muito vago. Em meio a muitas pessoas e a muita correria consegui uma cadeira pra sentar, ufa! (depois de um dia desgastante de trabalho e de aula, era tudo que eu precisava naquele momento.).
Pois bem, comecei então a observar as pessoas dentro do coletivo e não demorou muito para eu perceber, na cadeira ao lado, um menino magro, sujo, devia ter uns dez anos mais ou menos. Estava com uma bermuda e uma camisa rasgada. Pés descalços. E ele olhava para todos os lados, para todas as pessoas. De imediato pensei: “pronto, vamos ser assaltados. Deve ter mais alguém dando cobertura a ele dentro do ônibus”. (Fiquei traumatizada depois que me aconteceu um episódio parecido). Fui a viagem inteira pensando nisso, rezando, só na espreita, cheguei a guardar o dinheiro em um bolso da calça para garantir. Porém chegamos ao terminal de ônibus que é o final da linha e nada disso aconteceu. “Ufa! Alívio!” Pensei. Na hora da descida lá estava ele, olhando pra mim. Decidi abrir passagem, mas ele novamente me olhou com os olhos mais tristes do mundo e disse docemente: “Pode passar, tia.” Agradeci com um muito obrigada gentil e um sorriso. Ele também sorriu, não só com os lábios, mas com o olhar também. Parecia até que eu tinha feito grande coisa olhando para aquele pequeno e agradecendo por um gesto. Mas pensando bem, eu fiz. Quantas pessoas já passaram por ele e viraram o rosto, fingindo não enxergar um ser humano? Quantas vezes ele já deve ter feito um gesto desses e simplesmente foi ignorado por estar marginalizado da sociedade? Senti um nó na garganta e lágrimas rolaram no meu rosto. Senti-me mais suja que ele por julgar sem conhecer, por julgar pela aparência. Afinal, ele não tinha culpa de estar naquela situação. Sujo, maltrapilho, carente de afeto, de saúde, de educação formal (escola), material e de tudo que se possa imaginar, mas ainda assim era uma criança, só uma criança, que necessita de cuidados básicos, que não deveria estar sozinha àquela hora da noite. Senti-me mesmo repugnante. Eu, estudante de Pedagogia, numa Universidade conceituada, fui contra tudo que estudo e “acredito”, vencida pelo preconceito. Onde estava a Aline que bate boca em prol dos necessitados? Que faz discursos bonitos por uma educação de qualidade para todas as nossas crianças, indistintivamente? Tudo balela. Reduzi-me a nada diante daquela criaturinha. Vergonha, vergonha de mim mesma.
Para redimir-me, sentei ao lado dele num banco do terminal. Perguntei se ele estava com fome. Ele disse que sim. Fui à lanchonete comprei-lhe um sanduíche e um suco que ele recebeu com lágrimas nos olhos e devorou em poucos minutos. Agradeceu novamente com os olhos úmidos, ainda tristes, mas agora um pouco mais brilhantes.
Muitas pessoas vão ler esse relato e dizer que não fiz nada de mais. Mas pra mim foi um aprendizado sem tamanho. Nada no mundo paga um sorriso verdadeiro de agradecimento e contentamento. Nada no mundo paga a sensação de ser anjo por um dia. 

terça-feira, 15 de março de 2011

Meme da Hellen - Evidentes Pensamentos

Meme por НЄLLЄИ CΑЯΣLIИЄ. Adoreeeeiiiiii!
Vamos ao meme: 

1º- Morrer magra ou viver 100 anos gorda? 
Aiiiii prefiro morrer antes... até porque gordura faz mal à saúde. rsrsrs

2º- O que te consola mais: um abraço ou uma palavra carinhosa? 
Se um vier acompanhado do outro é melhor. 

3º- Ser feliz ou fazer alguém feliz? 
Quando fazemos alguém feliz também nos tornamos felizes.

4º- Se você pudesse ter um super poder qual seria? 
Ler a mente das pessoas. Seria bem interessante.

5º- O amor suporta tudo? 
Quase tudo.

6º- O que você costuma fazer quando está pra baixo? 
Ouvir música, escrever e chorar pra lavar a alma.

7º- O que você deixaria aos pés da cruz? 
...

8º- Se defina em três palavras? 
Uma constante inconstante.

9º- Algum lugar do passado? 
Lagoa das Pedras... grandes lembranças.

10º-Qual o pecado que te seduz? 
Não me seduz, mas cisma em me acompanhar... preguiça! rsrrsrs
Os blogs com a carinha do selinho e para responder o meme que indico:


Para motivar...

Viva Apaixonadamente
É preciso viver apaixonadamente, em qualquer situação, indistintamente. 
Seja lá o que for que você faça, empregue toda tua energia e todo teu espírito nesta tarefa. Acredite, se fizeres assim, sentirás prazer até em lavar pratos ou em varrer a calçada, por que há vida e beleza em tudo, e cada momento é importante, principalmente este que você nem percebe passar e, por favor, largue estes pratos e esta vassoura: há música no ar!Cante, ainda que desafinado, e dance, mesmo sem saber dançar. 
Chore todas as lágrimas que tiver e ria até não mais poder. Ame, perdoe, sinta raiva, chute o balde, faça aquilo que você verdadeiramente tem vontade de fazer. Não é convencional? É arriscado? O que as pessoas irão pensar? Afinal, o que você pretende? 
Se você pensa que é maravilhosa a rotina de trabalhar, voltar pra casa, assistir tv, dormir e sair com as crianças no final de semana, parabéns. Você é uma pessoa realizada. Mas penso que até fazer sexo, por melhor que seja, acaba ficando apenas razoável em um ritmo destes.E eu quero o melhor do sexo, o melhor do meu trabalho, o melhor da minha família, o melhor da minha vida. 
Se você também quer isso, envolva-se de mágica, deixe fluir a energia que existe em você. O universo inteiro está latente dentro de ti e tudo que você precisa fazer é deixar-se explodir. E quantas coisas surgirão, quanto a fazer, quanto a conhecer. Vá, não olhe pra trás. Não pense em nada, apenas confie em você. Você marchará rumo ao infinito e o que você viverá poderá ser bom ou ruim, nunca se sabe, mas sempre será enriquecedor, não duvide disto. E nunca, nunca se deixe vencer pelo medo, siga em frente. 
Ninguém conquista um sonho sem perseguí-lo, ninguém anda uma milha sem dar o primeiro passo. Se ao fim da estrada alguma sombra de arrependimento te atacar, ainda assim levante a cabeça, orgulhe-se por ter tentado, por ter buscado, por ter empregado todas as tuas forças até o último instante.Tanto pior e sempre pior é arrepender-se daquilo que você não fez.



segunda-feira, 14 de março de 2011

Antes de tudo, ame-se

Viver uma verdadeira experiência amorosa é um dos maiores prazeres da vida. Gostar é sentir com a alma, mas expressar os sentimentos depende das idéias de cada um. Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele. Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente.

Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e damos o nosso a eles. Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha a preencher o buraco que nós cavamos. A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão. 

Cada um é o único responsável pelas suas próprias necessidades. Só quem se ama pode encontrar em sua vida Um Amor de Verdade




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...