Sou uma observadora nata das pessoas, dos lugares, das coisas do cotidiano... Sorrio, choro, me emociono, me deixo levar pelo mar de sentimentos que a vida tem a oferecer... Às vezes chata, às vezes insuportável, mas, às vezes, uma flor de pessoa, amável e delicada. Sou uma constante inconstante.. Sempre mais do mesmo, mas o mesmo diferente a cada dia... Quando tudo parece perdido, despedaço-me e renovo-me como a natureza para sentir-me novamente forte... Sou menina moleca, mãe dedicada, mulher serena, rebelde sem causa, despida de preconceitos e pré-noções... Sou um misto de várias coisas por aí que fazem de mim, simplesmente, Aline.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Depoimento sincero (e desesperado) de uma mãe estressada..


Ahh... A maternidade! Quanta beleza, quanto glamour, tanta delicadeza, amor incondicional e dedicação. Sim, tem tudo isso na maternidade, mas é hipocrisia não mencionar os pontos contra também. A maioria das pessoas pintam as mães como heroínas, criaturas quase divinas, que tudo suporta em razão dos filhos. No entanto, na realidade a coisa não é bem assim. Também somos humanos falhos e cheios de fraquezas. Nós nos estressamos, piramos, enlouquecemos, sentimos dores (sim, ficamos doentes de vez em quando também). Temos os bons e os maus dias, e nem todos os dias estamos dispostas a sermos mães carinhosas e afetuosas o tempo inteiro.

Tá certo, daqui pra frente falarei por mim, porque já já vem as hipócritas, seus com discursos lindos, dizendo que ser mãe compensa qualquer coisa. Mas será que compensa mesmo? Eu amo meu filho, amo demasiadamente, contudo, sinto falta de me debruçar sobre um livro e ler sem me preocupar com a hora de parar para fazer a comida dele. Sinto falta de ouvir música até enjoar sem me preocupar com o que meu filho tá aprontando lá na cozinha sozinho. Sinto falta de um pouco de solidão, de curtir um momento só meu. Sinto falta de estudar horas a fio sem ter que parar para lhe dar um pouco de atenção. Sinto falta de passar o fim de semana de pernas para o ar sem me preocupar com a ideia de ter que deixar a farda da escola pronta para a segunda-feira. Muitos vão dizer que ser mãe é um sacrifício que vale a pena. Mas será que vale mesmo? Quantas coisas eu tive que deixar de fazer para cuidar do meu filho, quantas oportunidades deixadas de lado porque simplesmente não dá pra conciliar as duas coisas, não tem com quem deixa-lo, não sobra mais dinheiro pra nada. Algumas vezes tive que abrir mão de sonhos e projetos para me dedicar à maternidade e pra quê? Um dia ele vai crescer, vai viver sua vida longe de mim, vai atrás de seus próprios sonhos e eu estarei aqui, um pouco frustrada por tudo o que deixei de fazer.  

Não estou dizendo que ser mãe é a pior coisa do mundo, tem suas recompensas também. Receber um carinho de um filho e um eu te amo sincero, pode melhorar um momento ruim, pode fazer esboçar um sorriso inesperado. Eu só estou dizendo que estou cansada. Cansada não, esgotada. Porque a responsabilidade tem sempre que ser maior para a mãe do que para o pai? Onde está a paridade familiar? Se quando o casal cria os filhos juntos já é difícil, imagine para uma mãe que cria sozinha. Muitas vezes a atuação do pai se limita a um pagamento de pensão, e acreditem, ele realmente acha que é o bastante.  É tão injusto ser mulher. Carregamos pesos que muitas vezes não suportamos, essa é a verdade. Talvez muitas mães até concordem com algumas coisas, mas muitas nem ousam revelar isso. É quase um tabu falar mal da maternidade. Mas eu digo e repito: ser mãe não é e nunca será um mar de rosas.

Por isso meninas, antes de se decidirem pela maternidade, pensem. Mas pensem muito e pensem com todo o cuidado do mundo. Avaliem as suas prioridades, seus projetos de vida, aonde querem chegar. Só depois decidam se dá pra conciliar, e se não der, decidam o que é mais importante para vocês. Desculpem o desabafo, estou cansada e de TPM... Precisava falar...
Aline Teodosio..

88 comentários:

  1. OLÁ,ALINE

    Sou seguidor há algum tempo e sempre que venho aqui , não me arrependo.

    E devo dizer que, ainda bem que sou MENINO. KKKK

    Em todos os meus blogues esta semana, publiquei uma postagem que gostaria mesmo, que,se possível, você visitasse e deixasse (pode ser através do meu e-mail à disposição em todos os blogues) algo de sua autoria, para ser publicado .

    Espero poder contar com sua contribuição, nesta semana de postagem coletiva em todos os meus blogues.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  2. Acho q uma das piores coisas Aline é quando o companheiro decide seguir sozinho esquecendo q o filho continua sendo dele! tenho visto acontecer com uma frequência insuportável e sim eles acham q a porcaria da pensão é tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. He verdade eu tô passando por essa situação pior que nem pensão meu filho ganha o pai abandonou e disse que nunca iria ama meu filho e além disso todas vez que procurei ele falava horrores sobre o filho.
      E eu como mãe resolvi ser pai e mãe trabalho para manter meu filho como posso.
      Super cansada choro sem para pq meu filho tá com 8 mês e n dormi a noite e sou uma mãe sozinha moro em uma Cidade onde n tenho parentes pertos.

      Excluir
    2. Força pra vc. Não desista e acredite sempre em Deus .mesmo quando vc achar q TD está perdido. A recompensa um dia chega. Pode demorar mas chega. A alegria q um filho pode nos dar compensa .vc pode ter muito orgulho de seu filho ainda é vai ver q todo o esforço valeu a pena .

      Excluir
  3. Assim como tudo na vida, qualquer escolha requer uma recusa. É normal vc sentir de saco cheio, ficar puta porque perdeu alguma coisa por causa do filho, normal. Acharia estranho qq mulher que fosse mãe e não sentisse que lhe falta coisas qdo vc tem que se dedicar 100% do tempo para um ser que ainda está em formação.

    Faz bom uso do blog, é bom pra descarregar o que tá aí dentro pra vc continuar a jornada.

    Kisu!

    ResponderExcluir
  4. Mesmo não sendo mãe, te entendo completamente. Sei bem do que está falando e não acho que está errada, simplesmente está sendo humana e desabafando aquilo que todas as mães lá no fundinho sentem.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Esse depoimento simplesmente EU...

    BJs Aline

    ResponderExcluir
  6. Estou me sentindo do mesmo jeito!!!

    ResponderExcluir
  7. Aline, to te seguindo, amei teu blog e te convido a conhecer o meu tb. www.lilligarcia.blogspot.com

    Olha, eu optei por não ter filhos e quando faço isso, recebo olhares atravessados, ou julgada. Preferi seguir os meus sonhos e nunca senti falta de filhos, num ca quis ser mãe e vivo muito bem assim...Concordo com tudo o que você falou. Bjokas.

    ResponderExcluir
  8. Pois pra mim ser mãe é sim a pior coisa do mundo!!! É só chateação e o pior é que não dá pra voltar atrás e devolver a criança, ser mãe é frustrar-se e arrepender-se para o resto da vida, agora mesmo vou ter que sair daki pq a criança acordou :/

    ResponderExcluir
  9. Aline, sei bem o que esta passando. Mãe de um bebe de 03 meses, me sinto despreparada, insegura e ao mesmo tempo revoltada, por que com a maternidade a perda maior foi minha.
    Quanto eu e o meu esposo optamos por ter filho, eu não escondi que este não era o meu projeto de vida, mas ele me disse que iriamos passar e enfrentar juntos.
    Infelizmente a pratica é bem diferente, eu abri mão do emprego (depois de estudar muito pra isto), da estética, e de todas as demais coisas que gosto e meu marido dá para o nosso filho o que sobra do tempo dele.Há dias em que tenho que brigar para que ele ligue para nós no meio do dia, pq segunda ele, o trabalho é tão corrido que não tem tempo de lembrar de nós...como assim?!?
    Contudo me sinto cansada, abalada emocionalmente e sem condições de suprir o que a maternidade me pede.
    Amo meu filho, mas estou muito infeliz com o que a minha vida se tornou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mesma coisa acontece comigo amo minha filha (2 anos) e quanto a isso não há duvidas mas há dias que gostaria de estar sozinha mas não posso fora o casamento que já não é mais o mesmo, pois bem nao quero mais filhos vou me dedicar totalmente a minha única filha e assim que ela for crescendo vou retomando a minha vida assim espero.

      Excluir
  10. Foi com um imenso alívio que acabei de ler esse texto.
    Não sou a única!
    Estou no limite.
    Mas claro né "quem mandou ter filhos"

    Não tenho escapatória,tenho que encarar.

    Mas me sinto esgotada mesmo!

    ResponderExcluir
  11. Sim... Vida de mãe é boa mas não perfeita e linda como contam as estorinhas. Somos sempre nós que abrimos mão para suprir as necessidades doa filhos e isso muitas vezes se torna frustrante, cansativo. Tbem amo meus filhos mas têm dias que gostaria de largar tudo e sair correndo. Se o filho chora é culpa da mãe, se grita é culpa da mãe, se faz birra é culpa da mãe, se vc dá bronca vc é má se não dá é negligente! Afff é muita coisa nas nossas costas! E é essa pressão que colocam em cima da gente que torna a maternidade difícil, pesada e cansativa!

    ResponderExcluir
  12. Precisava ler isso!!Sou também nunca foi meu sonho ser mãe,mas casei e com o passar dos anos o marido começou a cobrar até que cedi e planejamos,depois de 6 anos de casada nasceu nosso filho - uma grande benção pra nós,ele está com 1 ano e 3 meses,e estou numa fase de esgotamento!!Me sinto presa,estressada qd chora...ah,sem falar que me atrasei 1 ano pra me formar ,gosto de liberdade,de sair sem me preocupar com nada,de ficar só sem falar nada...é...mas a realidade é outra,a sorte é que meu marido é MARAVILHOSO,e me ajuda muito,mas mesmo assim o chumbo grosso só cai nas nossas costas..mães!!Sinceramente só ficarei com um flho mesmo,já me realizei como mãe e não me sinto disposta e nem entusiasmada em enfrentar tudo de novo!!Me sinto mais humana agora em saber q não sou única a se sentir assim!!Adorei o blog!!Bjs

    ResponderExcluir
  13. vc está certa. corajosa por falar a vdd..falta de descer na garagem sozinha, tomar banho longo, ler até enjoar, dormir sem se preocupar com nada, pensar só e vc, em um único dia...fora que amamentar é um saco, cansativo p caralho...

    ResponderExcluir
  14. Perfeito teu texto e eu apesar de sentir falta de olhar pra mim e fazer as minhas coisas me sinto culpada por isso, parece q não gosto da minha filha. Mas depois de um tempo comecei a ler e entender q eu sou um ser humano e ela outro e o cordão umbilical ja foi cortado. Temos sim q pensar em nós, fazer as coisas q gostamos e sem se sentir culpadas. Qto aos queridos q não ajudam, não participam, sei bem oq é isso. Virei mãe solteira e estou me vendo azul não para os cuidados e sim para a educação da minha filha. Abraços!

    ResponderExcluir
  15. NOSSA BEM EU,ESTOU ME SENTINDO DA MESMA FORMA!

    ResponderExcluir
  16. Amo demais minha filha, ando completamente cansada e extressada, mas mesmo assi, nao me arrependo! Masssss entendo o seu desespero pois as vezes quero sumir. Força querida! Bjos e que Deus esteja acalmando o teu coraçao.

    ResponderExcluir
  17. Oi a todos hoje estou aqui em prantos....porque estou sem paciência nenhuma...me sinto um fracasso por está assim...hoje ouvi do meu filho que ele queria uma mãe nova porque grito com ele o dia intero! Fui pro banheiro e comecei a chorar! Sei que é só uma fase mas estou tão esgotada! Como é difícil ser dona de casa ,mãe, esposa,Mulher! Nem quando trabalhava e estudava ao mesmo tempo ficava tao cansada....mas obrigada por me ouvir bjs e espero encontrar forças e paciência....

    ResponderExcluir
  18. Exatamente a mesma coisa acontece comigo amo minha filha (2 anos) e quanto a isso não há duvidas mas há dias que gostaria de estar sozinha mas não posso fora o casamento que já não é mais o mesmo, pois bem nao quero mais filhos vou me dedicar totalmente a minha única filha e assim que ela for crescendo vou retomando a minha vida assim espero.

    ResponderExcluir
  19. Gente, assustei! Estou passando por isso e minha bebê tem apenas 3 meses, pensei q ia passar logo. Buaaaaa!!!!!! Agradeço a Deus por ela ser perfeita e ter saúde, imagino o quanto seria dificil se fosse diferente. Mas o estresse e cansaço são tão grandes q me vejo berrando com um bebê e por isso me sinto a pior criatura desse mundo. Amo tanto, desejei tanto essa filhinha e agora q a tenho descobri que não tenho paciência nenhuma... Deus nos ajude!

    ResponderExcluir
  20. Deus que me perdoe das minhas palavras mas, minha vida virou um inferno... Tenho uma filha de 5 anos e um menino de 2. To no meu limite fico tão estressada que as vezes da vontade de vomitar... Meu marido trabalha em dois hospitais e nunca está em casa.. fica até 3 dias sem vir em casa e quando vem é pra dormir minha filha não me da muito trabalho..mas meu filho de 2 anos esta me deixando doida.. ele chora o tempo todoooo sem parar ele literalmente dorme chorando e acorda chorando e também é muito levado só faz bagunça só mexe onde não pode só mexe com coisa perigosa.. Não tenho mais vida própria, não tenho um tempo nem pra dormir direito e ão me envergonho de falar que muitas vezes não tenho tempo nem pra um banho... Virei uma escrava da minha propria casa...arrumo casa o dia todo pois não tenho sequer um ajudante e quando termino de arrumar a cozinha a sala já ta uma zona de novo.... e assim vai. Sinto tanta falta de tudo.. de ir na rua comprar uma roupa e fazer hora por lá olhando as vitrines deitar e ver um filme ou apenas deitar pra pensar... sinto falta de me arrumar pra sair por um salto fazer uma maquiagem com temp o quando reclamo meu marido fala que estou infeliz(me criticando) é tão ausente que mesmo perto ainda assim é ausente não consegue entender que estou muito estressada... Sinto falta da minha vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou igualzinha!!!

      Excluir
    2. Realmente é muito difícil ser mãe e no meu caso eu tenho gemeos hoje consigo me perdoar por estar de saco cheio poxa vida eu sou humana e ser mãe não é ser a mulher Maravilha chega de hipocrisia nos mulheres temos de parar de julgar nos mesmas a gente não é de ferro ser mãe pelo menos por enquanto não tem válido a pena quem sabe no futuro quando esse inferno todo passar eu possa dizer que valeu a pena sinceramente torço por isso me desculpem mas é que ser mãe de gemeos tem me feito se sentir como se um caminhão passasse por cima de mim todos os dias

      Excluir
  21. Adorei ler tudo isso!
    Me alivia um pouco, e sinto muitas x vontade de chorar. Trabalho, e cuido do meu filho, e ainda preciso cozinhar para alegrar meu marido! Estou cansada!
    INFELIZMENTE ELES PENSAM QUE NAO PRECISAM MUDAR ABSOLUTAMENTE NADA PORQUE O FILHO NASCEU. Não entendem que a vida muda.

    ResponderExcluir
  22. Tem sido bem difícil, tenho uma de 3 anos e outro de 1 ano que não foi planejada, porém foi desejada mais tem me deixado LOUCA, trabalho fora e revezo com meu marido que não quer colocar a mais velha na escola...que vontade de sumir...mais sei que vai passar...nem que leve a vida inteira, rsrsrs

    ResponderExcluir
  23. Eu tenho um filho deficiente mental, ele precisa de mim p tudo, a 5 anos trabalho meio período larguei tudo p me dedicar à ele. O amo mais do que qqer outra coisa no mundo mas estou tão cansada e estressada que não consigo mais me dedicar tanto qto deveria. Ele faz terapia 2 x por semana, tenho q levantar as 6 p estar lá, arrumar a casa, fazer comida, arrumar roupa fazer compras tudo é com pressa, sempre atrasada ele fica nervoso por pouca coisa é eu tenho q ser uma santa com 8 litros de café p dar conta. Dar banho é um sacrifício pq ele grita esperneia se joga no chão, eu arrumo as camas ele arranca os lençóis, eu vou dar comida é outra missão qse impossível, faz cocô nas calças, me bate e eu me vejo numa situação que tenho vontade de morrer. Não me sinto especial o bastante p ter um filho especial, trabalho ganho pouco n tenho dinheiro pra nada. Dormir é meu único prazer, nem p comer eu tenho forças. Meu marido tbm corre atrás mas está sendo difícil. Espero ser forte e conseguir ajudar essa criança a se tornar um adulto independente. Qdo rezarem pessam por nós, na clínica q ele se trata todas as mães estão como eu, exaustas, desmotivadas e aflitas. O desespero nos atormenta. Deus sabe o que faz mas preciso achar forças p continuar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus te abençoe nessa jornada ..Você é um exemplo p nós...

      Excluir
  24. Nossa estou a beira de um ataque de nervos. E vi q nao estou sosinha. Acabei de por minha filha pra dormir ao berrros. Gritando por nada. Meu marido fecha a porta do quarto e assim passamos a noite. Eu aqui na internet tentando achar "solucoes" para entender as fazes que minah filha esta passando ou prnsando em fugir de casa e largar os dois

    ...
    e estou tao stressada q nao sei o que fazer. O pior e ver q o marido nao se empenha ao querer saber o que esta acontecendo com vc e so achar q vc eh estressada......meu deus amo minha filha mais que tudo mas nao posso ser hipocrita. Depois do nazcimento dela desenvolvi ansiedade. T dias q parece q meu coracao vai sair pela boca....espero q isso passe......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou passando por isso agora, amo minha filha demais, mas estou muito nervosa e estressada,pois além de não receber ajuda do marido ainda tenho que ouvir crítica, ontem me estresse com minha filha de 7 meses. Estou me sentindo culpada. Na verdade to me sentindo um lixo de pessoa, estou muito triste mesmo não sei o que fazer. O que é pior é a cara das pessoas da minha família q me tratam como louca. Muito difícil

      Excluir
    2. Fiquei assim quando meu segundo filho nasceu.. me vi louca não tava dando conta e ainda só recebendo crítica do meu marido que dizia pra todos que eu não amava meus filhos, tanto não dei conta que meu marido foi procurar mulher na rua e hoje estou separada, nada mudou, to mais doida que nunca sozinha com os dois e o pai continua a me infernizar tudo que acontece de errado é minha culpa, se eu esqueço o dia da prova na escola ou de mandar o brinquedo no dia do brinquedo ele me liga pra cobrar e se eu saio com as amigas fala que eu não dou atenção pra eles e que vai tirar eles de mim ...sinceramente to ficando louca com tanta pressão estou a ponto de mandar eles morar com o pai pra ele ver o que é bom mas tenho muito medo das consequências em relação aos meus filhos

      Excluir
    3. Querida deixa eles irem,as férias inteiras e diga que se depois desse período eles,inclusive o pai,ainda quiserem morar juntos deixe e volte a viver a sua vida, infelizmente acho que no fim seu ex voltará atrás, mas aí vc já descansou e ainda tem um bom motivo pra mandar ele calar a boca

      Excluir
    4. Filho ainda passa,mas ex. Tem que dar um basta!

      Excluir
  25. Vim pra internet pra tentar encontrar alguém que me entenda. Que bom que encontre você e as amigas que comentaram. Não consigo falar desses sentimentos com ninguém, já me olham torto. Meu filho tem 2 anos e tem sido bem difícil. Não trabalho mais, dependo financeiramente de meu marido e cuido do meu filho praticamente só. Quando o pai ta em casa perde a paciência facilmente. Sofro o dia inteiro de cansaço sozinha e não reajo como ele. Que injusto! Estou muito angustiada. Já me arrependi várias vezes de ter escolhido a maternidade. Que deus me perdoe!

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde, meninas! Poxa assim como vcs estou na internet em busca de soluções! Tenho uma bebê de 7 meses, ela é a princesa mais linda desse mundo! Ela foi super planejada, eu e meu esposo decidimos q ficaria cuidando dela até completar um ano ou dois, então em resumo, não tenho vida né! Sinto falta de ficar a toa, de ir ao shopping sozinha, de um banho demorado...hoje estou esgotada. Ela só quer mamar, ficar no meu colo! Eu preciso fazer as coisas da casa, cozinhar, lavar roupa. Meu esposo me ajuda, mas não tem compromisso...ele brinca, arruma o banho as vezes, mas quem troca fralda, dá comida, poe pra dormir: SOU EU! Quando ele vê um mau comportamento diz que estou fazendo algo errado. Não deixa de ser verdade, mas ouvi esse tipo de coisa é muito triste, ainda mais do marido! Ele pediu pra eu fazer uma autocrítica: na hora do bainho eu cantava, brincava e ultimamente tenho ficado em silêncio. Claro, estou sem forças. Ela é boazinha, mas é levada, como todo bebê. E ainda nem anda...é um momento desabafo, pq se eu conversar com alguém, serei crucificada... É quase um pecado reclamar isso, ela tem saúde, é esperta. Deus me deu a oportunidade de poder ficar em casa cuidando dela, enquanto a maioria das mães tem q voltar ao mercado de trabalho aos 4 meses... E tem mães q cuidam do baby e trabalham...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, vc disse exatamente o q eu estou passando nesse exato momento. Não está sendo fácil.

      Excluir
  27. Tenho uma filha de 2 anos. Pqp que luta. Estresse é meu sobrenome.. O pai não ajuda em nada. Absolutamente nada. Não trabalha, fuma maconha o dia inteiro... eu nem trabalhar posso pois minha filha não fica com ninguém, muito menos com o pai. Caramba estou louca juro por Deus. Estou totalmente louca!

    ResponderExcluir
  28. Nossa fico aliviada em saber que não sou a única desesperada e estressada , tenho um filho de 1 ano e 4 meses e é só eu e ele, sai do meu trabalho pra cuidar dele mais confesso que me arrependi de ter decidido ser mãe o idiota do pai dele acha que ser pai é da uma micharia todo mês e ver o filho quando da ... sinceramente to pra enlouquecer amo meu filho e agradeço a Deus por ele ter saúde mais tem horas que da vontade de dar ele pro pai dele se virar ... quero minha vida de volta quero ser livre ... ir ao cinema namorar sem me preocupar com nada e nem ninguém :/ ...

    ResponderExcluir
  29. Ser mãe é uma bênção mas é também uma cruz q cada mulher carrega sozinha, mesmo se marido ou família ajudam. É nunca mais dormir direito, nem estar sozinha seja onde for, acumular horas de cansaço, de trabalho duro em casa, no emprego, sem folgas nunca. É muito cansativo e solitário, embora valha a pena pelos nossos filhos. E por isso acho q somos mm heroínas, aguentamos tudo por eles, mm q às vezes nos sintamos uma porcaria incompreendida.

    ResponderExcluir
  30. Genteeee!!! Que bom que existe esse blog, caso contrário não sei o que seria de nós mães. Gente, tenho um filho prestes a completar dois aninhos e acho que vou enlouqecer!!! Tenho vontade de sair correndo gritando, fugir para um lugar bem longe sei lá. Achei super legal e corajosa essa iniciativa de falar sobre esse assunto aqui neste blog porque se formos desabar com outras pessoas, vão dizer que somos loucas!!! Parabéns pela iniciativa !!!

    ResponderExcluir
  31. Q bom q encontrei vcs! Nunca quis ser mãe... Meu foco sempre foi estudar e estudar. Tinha dois empregos e estava fazendo minha segunda graduação qndo engravidei do namorado, mesmo tomando anticoncepcional há mais de doi anos. Pensei em tirar... O pai foi contra. Nos juntamos, alugamos uma casa e tive meu filho. O amo muito.... Mas vivo estressada, triste, esgotada. Meu filho hj tem 2 anos e me separei do pai, pois com o tempo vi q era um vagabundo, preguiçoso e viciado. Tive q diminuir meu ritmo de trabalho... O pai ajuda com 350 por mês e vê o filho a cada 15 dias e acha q faz muito. Moro perto dos meus pais, tenho a ajuda da minha mãe, mas mesmo assim.... Vivo esgotada pq trabalho, voltei a cursar a segunda faculdade, sou dona de casa, cozinheira, lavo, passo e cuido dele... Cara estou enlouquecendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu era a mesma coisa que você, trabalhava e estudava, mas não consegui terminar a faculdade e hoje me arrependo amargamente. A pergunta: Como você consegue trabalhar e estudar? sua mâe te ajuda? Beijos.

      Excluir
  32. Q bom q encontrei vcs! Nunca quis ser mãe... Meu foco sempre foi estudar e estudar. Tinha dois empregos e estava fazendo minha segunda graduação qndo engravidei do namorado, mesmo tomando anticoncepcional há mais de doi anos. Pensei em tirar... O pai foi contra. Nos juntamos, alugamos uma casa e tive meu filho. O amo muito.... Mas vivo estressada, triste, esgotada. Meu filho hj tem 2 anos e me separei do pai, pois com o tempo vi q era um vagabundo, preguiçoso e viciado. Tive q diminuir meu ritmo de trabalho... O pai ajuda com 350 por mês e vê o filho a cada 15 dias e acha q faz muito. Moro perto dos meus pais, tenho a ajuda da minha mãe, mas mesmo assim.... Vivo esgotada pq trabalho, voltei a cursar a segunda faculdade, sou dona de casa, cozinheira, lavo, passo e cuido dele... Cara estou enlouquecendo!

    ResponderExcluir
  33. Gente amo minha filha mais que tudo, Mas estou muito triste, ela não pega mamadeira, acho que tô com depressão, sinto uma tristeza do nada, não Sei o que fazer, pensando a hora que voltar a trabalhar, o que ela vai comer, desenvolvi pânico desse dia, sem dormir direito desde que nasceu, eu não me arrependo de ter tido ela, Mas têm horas que sinto isso, fui praticamente forçada a engravidar, depois de 10 anos de casada, meu marido me pressionou muito, e eu estava em outra fase... choro muito as vezes e me sinto culpada por ter esses pensamentos egoístas de querer paz, de poder passar o dia dormindo, e sempre sobra pra mãe, pois o marido diz estar cansado do trabalho, a propósito meu casamento está péssimo, as vezes tenho ódio dele...

    ResponderExcluir
  34. Estou enlouquecendo... Decidi que não queria ser mãe, mas por descuido aconteceu... Passei a gravidez estressada e sem acreditar e sentir aquele amor que tdo mundo dizia que eu ia sentir, não queria tirar fotos da minha barriga, nãoe sentia feliz, vi meu belo corpo virar uma merda e isso me entristeceu. No fim da gestação comecei a me conformar que nada que eu fizesse mudaria, a minha filha é linda, saudávl e tem apenas 1 mês, mas me sinto a beira de um colapso, ela não me deixa fazer nada nem dormir,Estou enlouquecendo... Decidi que não queria ser mãe, mas por descuido aconteceu... Passei a gravidez estressada e sem acreditar e sentir aquele amor que tdo mundo dizia que eu ia sentir, não queria tirar fotos da minha barriga, nãoe sentia feliz, vi meu belo corpo virar uma merda e isso me entristeceu. No fim da gestação comecei a me conformar que nada que eu fizesse mudaria, a minha filha é linda, saudávl e tem apenas 1 mês, mas me sinto a beira de um colapso, ela não me deixa fazer nada nem dormir, Tenho vontade de sumir, engravidei não tinha 1 mes de namoro decidimos fikr juntos e moramos juntos, meu marido so pensa em fikr no bar bebendo e esquece que temos uma filhinha e preciso de ajuda. P piorar não tenho família perto p ajudar minha mãe trabalha e não pode me ajudar agora. Estou estressada demais gritei com ela umas 2x e quando ela me acorda a noite eu fico estressada, se coloco ela no berço ela acorda, me sinto a pior mãe do mundo, incapaz de ser uma boa mãe estou aqui escrevendo e chorando mto eu quero sumir, peço a deus força p cotinuar tdos os dias não fui feita p ser mãe. Amo minha filha mas vou surtar! Vejo um monte de mãe falando que ama isso que não troca isso por nada, a minha bb mama toda hora não tenho sossego nenhum não consigo comer direito, não consigo tomar um banho sem meu marido chgar em ksa pfikr com ela, as vezes passo o dia sem conseguir escovar meus dentes. É bom ver q não sou a única que se sente assim mas me entristece mais ver que não melhora com o tempo. Só quero ter paciência e conseguir dormir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CALMA CALMA CALMA... Respire fundo agora!!! Sei exatamente o que vc está sentido! Imagina eu com gêmeos!!! Rsrsrs.. ( vamos rir um pouco pra descontrair) Toda vez que estiver a ponto de pirar, peça ajuda a Deus, ao seu anjo da Guarda e dê uma olhadinha para sua bebê, olhe o quanto linda ela é, quanto frágil e inocentes eles são, como elas precisam de nós e como têm tantas crianças desamparadas e precisando de uma mãe por perto! O quanto sua filhinha tem sorte de ter seu amor! Sabe pq vc deve pensar assim... Pq é esse amor por nossos filhos que nos faz levantar a cabeça e continuar na luta do dia a dia. E quer saber mais uma coisa... Essa fase passa, por mais que seja difícil acreditar nisso agora, e deixa saudade, logo logo sua bebê vai crescer e ser sua companheira, parceira! Por isso continue respirando fundo e orando a Deus sempre!!! Um beijão mas duas!!!

      Excluir
  35. Genteeeeee... Vc tirou as palavras da minha mente!!! Você espressou exatamente tudo que sinto de vez em quando. Essa pergunta "Será que ser mãe vale mesmo a pena?" é a mesma que me faço as vezes e quando uma amiga me diz que quer ser mãe eu digo "Primeiro aproveitem bastante a vida, façam tudo que têm vontade, e quando causarem de tudo, aí sim tenham um filho!" Rsrsrs... Amo demais meus gêmeos, e nem imagino como seria criá-los sozinha. Admiro muito as mamães que conseguem! Mas apesar de sentir falta de tudo que diz o seu texto, exatamente tudo, tento aceitar minha condição de mãe e respirar muito fundo. Afinal eles são meus amores, minhas paixões para sempre!❤

    ResponderExcluir
  36. Genteeeeee... Vc tirou as palavras da minha mente!!! Você espressou exatamente tudo que sinto de vez em quando. Essa pergunta "Será que ser mãe vale mesmo a pena?" é a mesma que me faço as vezes e quando uma amiga me diz que quer ser mãe eu digo "Primeiro aproveitem bastante a vida, façam tudo que têm vontade, e quando causarem de tudo, aí sim tenham um filho!" Rsrsrs... Amo demais meus gêmeos, e nem imagino como seria criá-los sozinha. Admiro muito as mamães que conseguem! Mas apesar de sentir falta de tudo que diz o seu texto, exatamente tudo, tento aceitar minha condição de mãe e respirar muito fundo. Afinal eles são meus amores, minhas paixões para sempre!❤

    ResponderExcluir
  37. Genteeeeee... Vc tirou as palavras da minha mente!!! Você espressou exatamente tudo que sinto de vez em quando. Essa pergunta "Será que ser mãe vale mesmo a pena?" é a mesma que me faço as vezes e quando uma amiga me diz que quer ser mãe eu digo "Primeiro aproveitem bastante a vida, façam tudo que têm vontade, e quando causarem de tudo, aí sim tenham um filho!" Rsrsrs... Amo demais meus gêmeos, e nem imagino como seria criá-los sozinha. Admiro muito as mamães que conseguem! Mas apesar de sentir falta de tudo que diz o seu texto, exatamente tudo, tento aceitar minha condição de mãe e respirar muito fundo. Afinal eles são meus amores, minhas paixões para sempre!❤

    ResponderExcluir
  38. Nossa acho que você foi a resposta de Deus as minhas orações.
    Estou tão esgotada, não fisicamente mas mentalmente. Eu não tenho paciência com a minha filha (5 anos). Ela só quer brincar , ela só quer ficar comigo, ela não gosta de fazer nada sozinho, sinto falta de ver um filme, de ler um livro, ou até mesmo de ler esse post inteiro sem que ela me cobre atenção.
    Eu a amo muito. Quero que se torne uma pessoa maravilhosa, mas eu não sabia que ia ser tão difícil! Sou mãe solteira e o pai dela como várias de vocês disseram, acham que pagando a pensão (quando pagam) é mais que o suficiente. Mas tbm vejo amigas com estabilidade familiar tão piradas quanto eu rsrs então acredito que isso acontece até nas melhores famílias.
    Seu texto me ajudou muito , ver que eu não sou só nesses sentimentos .
    Só espero que Deus nos ajude nesse caminho ,e que um dia olhemos para trás e vejamos que tudo passou e valeu a pena.

    ResponderExcluir
  39. Joseane Ferreira, 17 de novembro de 2015.
    Achei que só eu pensasse assim, e me sentia culpada por isso. É bom compartilhar sentimentos parecidos. Achei que além de filho, teria um companheiro, mas nada. Adora me ferir e é muito cabeça dura. E isso dói. Mas quando ele está naqueles dias amorosos é a melhor coisa do mundo. Hoje me sinto frustrada por não ter construído nada para mim. E realmente, quem diz que onde come um comem dois... É porque tem muito dinheiro. Abrir mão das coisas e de mim é o que mais me incomoda. Estou tentando mudar minhas atitudes, mas como precisa muito de mim devido ao seu problema de saúde, fica muito difícil deixá-lo independente, e assim eu poder cuidar mais da minha vida (hoje ele tem 11 anos). Abraços

    ResponderExcluir
  40. Ouço tantas mulheres glorificando a maternidade como a coisa mais sublime do mundo que já estava me sentindo uma alienígena. Sinceramente, fico feliz em saber que também existem muitas no mesmo barco que eu. Força, meninas! Tudo dará certo!!!

    ResponderExcluir
  41. Eu sou mãe de dois rapazes,um de 19 e o outro de 24. Achei seu texto na busca usando a frase "estou esgotada dos meus filhos.
    Garanto que quando crescem, os filhos se tornam mais atrevidos, mais folgados, imprestáveis, exploradores pior do que ex marido, onde temos o privilégio de arrumar a trouxa dele dando-lhe um pé na bunda, uma vez que sabemos que o homem só vai embora se a mulher tomar a iniciativa.
    Os filhos nos deixam reféns deles e da sociedade, pois se você mandar um filho atrevido embora, você é marginalizada pela opinião pública.
    Os filhos quando crescem te cobram mais do que toda a humanidade, porque eles acham que é nossa obrigação, eles nos escravizam, seu dinheiro tem quer ser rateado pelas despesas deles, porque a essa altura você já não recebe pensão do ex ordinário.
    E essa a geração ECA (Estatuto da criança e do adolescente) chancelada pelo conselho tutelar que nos oprime e nada fazem em prol daa mães infelizes, sugadas e injusticadas

    ResponderExcluir
  42. Vc não está sozinha...eu mesma sinto tudo o que vcs relataram e mais um pouco...não se sinta culpada, pois você é humana...homem nenhum, em tempo algum, jamais passaria pelos mesmos desafios que passamos por nossos filhos...mulheres que pintam a maternidade como a coisa mais gloriosa do mundo mentem...tenho 3 filhos, parei de trabalhar, não tenho tempo pra nada, enfim...eu tenho duas filhas, uma pré e outra adolescente e a vida estava uma delícia...então engravidei e veio um moleque, que apesar de ser uma bênção, é virado no giraia, arteiro, aprontao, não me da um minuto de sossego, estou ficando louca...esgotada, estressada, chego a me arrepender de ter tido ele...mas se serve de consolo, acaba melhorando...esse esgotamento físico, essa pressão, essa sensação de estar presa dentro dessa situação interminável...mas passa, acredite...qdo tenho vontade de jogar ele na parede, lembro-me que ele é um ser inocente, que não teve escolha de estar aqui e que ele é minha responsabilidade...peço ajuda a Deus, choro, desabafo e sigo em frente...vai passar viu...acredite...eu mesma queria dormir e só acordar qdo ele já fosse grandinho...kkkk...mas no fundo sei que vai passar...não entregue os pontos, não desista de educar seus filhos com firmeza, autoridade e carinho e um dia, tenho certeza que eles serão grandes amigos seus...fica com Deus...força...

    ResponderExcluir
  43. Precisava ler isso agora me sinto melhor

    ResponderExcluir
  44. Precisava ler isso agora me sinto melhor

    ResponderExcluir
  45. Olá! Encontrei o blog porque busco constantemente na Internet respostas para meu momento de instabilidade emocional. Pois acabei de encontrar várias mulheres na mesma situação, cujas palavras chaves são: esgotamento, exaustão, loucura e estressada. Essas 4 palavras resumem o que sinto também. Meu filho hoje está com 1 ano e 6 meses. No começo foi mais que loucura total: mamava 24h, chorava, trocar fralda, sem dormir, pessoas palpitando e entrando em minha casa para visitar. Confesso que não esperava que fosse tão, mas tão difícil assim a maternidade. Esperava algo "natural". Hoje vejo que é "sobrenatural". Primeiro porque os cuidados com um bebê são intensos e não só até os 4 meses, em que muitas mães precisam trabalhar. Digo que o primeiro ano é bem delicado. Eu preferi quando começou a andar, que pelo menos não precisava ficar carregando o tempo todo. Agora tive que optar em colocar na creche, pois necessito fazer minhas coisas: trabalhar, cozinhar, estudar com tranquilidade e concentração. Enquanto estava tentando fazer isso tudo junto, com os cuidados dele, senti que não estava fazendo bem para ninguém em casa. Embora esteja sofrendo por colocar na escola agora, vejo que é a melhor solução para todos. Consegui voltar para meu esporte, 3x por semana a noite. Sinto as coisas começando a melhorar um pouco. Porém outras continuam abaladas: casamento não é o mesmo pois marido só critica minhas atitudes; sou criticada por minha mãe, sogra, sociedade: tudo julgam a mãe; mercado de trabalho discrimina mãe de filho pequeno e é difícil arrumar emprego. Hoje estou como autônoma e a demanda caiu. Preciso arrumar outra coisa para fazer. Então me encontro abalada emocionalmente por não sentir o apoio do marido e compreensão nesse momento tão delicado. Estou abalada por me ver sem grana e sem estabilidade profissional. Estou a todo instante tentando melhorar e equilibrar os pratos. Mas o stress, ansiedade e tristeza me acompanham. Sinto estar sozinha nesta caminhada. Por incrível que pareça: penso em ter outro filho! Sou louca, mas as vezes sinto que teria que parar por aqui. Porque mãe não recebe apoio de ninguém e filho nos limita muito. Tenho me sentido meio perdida nesta caminhada. Acho que temos que encontrar um ponto de equilíbrio. Se a coisa apertar, ver a possibilidade de colocar na escola: melhor que ficarmos estressadas o dia todo e não conseguir fazer nada. Tentar fazer uma caminhada, cuidar o mínimo da gente. O que vejo é que não posso deixar meu filho dominar assim. O amo, mas temos que dividir as coisas. Porém sei que dificilmente terei a tranquilidade de fazer as coisas sozinha como antes, sem me preocupar com ninguém. Não me arrependo de ser mãe. Mas hoje posso afirmar para qualquer uma que queira ser que não é fácil, é esgotante, loucura total, é ter que fazer tudo ao mesmo tempo e muitas vezes nem conseguir, emocional fragilizado, casamento abalado, vida social quase zero. Para conseguir um pouco de qualidade de vida com filhos terá que se desdobrar e para isso o stress vem junto. Passo por tudo isso que cada uma falou aqui, me identifiquei com todas. Serviu para ver que não sou a única e continuar em busca do equilíbrio, precisa haver um jeito! Sinto-me aflita por me ver desestabilizada emocionalmente sendo que deveria ser uma mãe mais segura e certa de suas decisões. Mas vou buscar isso e vou conseguir. Esse tempo que meu filho está na escola já consigo fazer minhas coisas. E assim vai, paciência.

    ResponderExcluir
  46. Oi meu nome é Charity, de estados unidos da América só quero compartilhar minha experiência com o mundo da forma como eu tenho o meu amor de volta e salvou o meu casamento eu estava casado há 7 anos com dois filhos e nós viveram felizes até que as coisas começaram a ficar feio e tivemos brigas e discussões quase todas as vezes? ficou pior em um ponto que ele pediu o divórcio eu tentei o meu melhor para fazê-lo mudar de idéia e ficar comigo porque eu o amava com todo meu coração e não queria perder-lo, mas tudo só não deu certo, ele mudou-se para fora da casa e ainda foi à frente para pedir o divórcio, eu implorei e tentei de tudo, mas nada ainda funcionava. A descoberta veio quando alguém me apresentou a este maravilhoso grande feitiço, rodízio Akwukespiritualtemple@gmail.com que eventualmente me ajudou Eu nunca fui um fã de coisas como esta, mas apenas decidiu tentar relutante porque eu estava desesperado e deixados sem escolha a Ele fez orações especiais e lançou um feitiço de amor para ele. Dentro de 3 dias, ele me ligou e estava arrependido por todo o trauma emocional que ele tinha me custou, voltou para a casa e continuamos a viver felizes, as crianças estão felizes também e nós estamos esperando nosso quarto filho eu o apresentou a um lote dos casais com problemas em todo o mundo e eles tiveram uma boa notícia Apenas pensei que deveria partilhar a minha experiência porque eu acredito fortemente alguém lá fora precisa Você pode enviar-lhe Akwukespiritualtemple@gmail.com

    ResponderExcluir
  47. Encontrei essa postagem porque pesquisei no Google "minha mãe é muito estressada". Eu procurei respostas pra aprender a lidar com ela, como se ela fosse o problema, mas percebi pela postagem e pelos comentários de vocês que ser mãe não é fácil.
    Me sinto imensamente arrependida por reclamar da minha mãe, do estresse constante, das brigas que pra mim não tem sentido.
    O que eu quero saber de vocês é: o que seria um filho perfeito? Um filho que não deixassem vocês estressadas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto mais independente e feliz é um filho, melhor é para as mães. E tente ver a sua mãe não como um ser sobrenatural, mas como uma mulher normal, frágil, que erra, que se sente insegura e só muitas vezes

      Excluir
    2. Não existe filho perfeito, assim como não existe mãe perfeita. O fato é que sua mãe abriu mão da vida dela, dos sonhos, dos ideais, falta de dinheiro, desajustes no casamento, falta da liberdade dela pra cuidar de você, ela é estressada por uma vida toda de estresse que viveu, simples assim. Cuidar de filho é um fardo pesado, se um dia você tiver, você entenderá. Ser mãe é abrir mão de tudo e cuidar do outro ser humano sem nenhuma garantia de felicidade, aí o filho cresce e acha que a mãe é estressada, não digo que é você, mas os jovens em geral pensam assim. Que bom que você procurou ver por este lado.

      Excluir
  48. O bom de tudo isso e que hoje lendo esse texto vi nos comentários que quase todas se identificarão assim como eu! As vezes ate quando estou dentro de algum estabelecimento eu choro! Estou em uma fase muito ruim da minha vida com meu filho e ele só tem 4 anos....

    ResponderExcluir
  49. Nossa, gente!!! Quando escrevi essa postagem nem imaginava que tinham tantas mulheres na mesma situação. Bom saber que não sou uma alienígena.
    Força, meninas!!!

    ResponderExcluir
  50. Lendo seu depoimento faz com q eu me sinta melhor tenho um bebe de dois meses que amo.mais q tdo nessa vida ele até que é bonzinho mas ta passando por a face que ta dando um pouco de trabalho pra dormir a noite e quando saímos pra algum.lugar de dia ele tbm não dorme fica manhoso e por vc estar em.casa de licença o marido ainda axa que é nossa obrigação limpar casa todo dia mas eles não entendem aur tem dia que não da ainda se vc fala que ta cansada ele vira e fala cansada doq??tem.hora que da vontade de larga tudo e sair correndo

    ResponderExcluir
  51. Minha filha está com 1 aninho e só agora estou me sentindo assim. Me sinto presa, como se não tivesse liberdade para fazer coisas simples. Tenho vontade de fazer academia, curso de teatro e dança e trabalhar tb . Mas tudo ficou pra trás, e mesmo tendo meu marido ao meu lado, o peso está mais nas minhas costas, e se reclamo me chamam de chata, falam a famosa frase "mas vc é mãe", meu próprio marido fala. Daí eu digo, "e vc é pai". Meu marido ainda joga sua bolinha, ainda joga vídeo game com os amigos, ainda vai bem ali bater um papo na casa do amigo. Claro que ele tbm sofreu limitações comparado a antes de ser pai, porém a minha parte sofreu muito mais. Às vezes pra ir na casa de uma amiga, o que é raro acontecer, preciso levar minha filha. Poxa! É injusto, muito injusto mesmo! Eu não posso deixar minha filha com o próprio pai pra me destrair um pouco, pq ele inventa que não dá conta de cuidar sozinho dela, isso pq ele não se interessa em aprender, nunca tenta, estou me sentindo mal no meu relacionamento por causa disso. Ele pensa que está a mil maravilhas, mas pra mim não está. Estou muito infeliz e sinto que já estou perdendo minha juventude. Com toda certeza a única coisa que me traz felicidade é minha filha, porque a amo mais que tudo, e por isso que na maternidade tem essa beleza toda, pq o amor que sentimos pelos nossos filhos nos dar forças para aguentar muita coisa. Pena que isso não é tudo.

    Desculpem o texto grande, aproveitei para desabafar tbm. É a primeira vez que visito o blog.

    ResponderExcluir
  52. É difícil ser mae e a maioria não comenta.fica a dica: é difícil mas não impossível. Quando nós mães pensamos que não dá mais. Faz uma oração a Deus. Sabe explica pra Ele que VC não aguenta mais a pressão como se VC tivesse escrevendo no blog e desabafa, VC vai ver que errar é humano e algumas vzs VC chora e não é pq não ama seu filho mas pq só quem passa é q sabe como é complicado. E as vzs VC grita pq não aguenta e explode.Deus te entende e vai te ajudar a superar mais uma fase difícil na sua vida e na vida do seu filho. Fica com Deus ...parabéns pelo blog amei

    ResponderExcluir
  53. Fico feliz em saber que não sou só eu que me sinto assim. Tenho 23 anos e já tenho dois filhos! Um de anos e outro de dez meses. Sempre quis ter filho desde novinha. Me sentia sozinha e sabia que tendo um bebê nunca mais estaria só. Mas nunca imaginei que fosse tão, mas tão difícil ser mãe. Pra mim o pior é a cobrança, o peso que poem em nossos ombros. As comparações de que o filho da fulana começou a andar e falar mais cedo que o nosso. Ou de que quando foi a vez delas tudo foi perfeito. Tenho um marido que me ajuda muito mas mesmo assim o nosso relacionamento mudou. Jogo minhas frustrações nele, sem contar que quando perco a paciência e grito com as crianças me sinto um monstro. Entendo todas vocês! É muito cruel a carga que nos fazem carregar. Amo muito meus filhos, é uma responsabilidade enorme. Mas vamos conseguir passar por tudo isso e ter histórias pra contar.

    ResponderExcluir
  54. Que bom saber que não é só eu que me sinto assim,estressada por qualquer coisa.Minha bebe tem 1 ano e é muito levada mexe em tudo e eu estou esgotada de paciência e grito muito com ela,depois bate o arrependimento e lá estou eu chorando.Eu sempre quis ser mãe,mais é muito cansativo to sempre irritada e o meu marido só me critica, me chama de descontrolada ai vc se sente mais culpada ainda.Enfim a maternidade nao é lá este mar de rosa!

    ResponderExcluir
  55. Aqui estou eu também, assim como todas vocês, estou esgotada. Me sinto arrependida, não por meu filho, mas é um arrependimento por ter sido tão iludida em ter filho, sei lá. Cheguei aos 35 anos e tenho um bebê 1 ano. Quando tinha 33 surtei que queria ser mãe e o próximo cara com quem me envolvi engravidei, com 15 dias de relacionamento. É, que idiotice. O pior é que o cara não é nada daquilo que eu imaginei e me arrependi, pois tive que casar, estava com problemas financeiros e quebrei, não tinha pra onde ir grávida, minha mãe não colabora e me senti perdida. Meu marido não sabe nem escrever direito, é semianalfabeto, não tem curso superior, nada. Se contenta com qualquer emprego que pague 1.000,00 e com 6 meses de trabalho larga o emprego. Estou absolutamente frustrada.
    Hoje espero que o tempo passe logo pra eu voltar à ativa e me separar, penso em ter guarda compartilhada e deixar meu filho com o pai durante a semana para eu poder terminar a faculdade e assim levar a vida até ele crescer mais um pouco e eu ter a guarda de volta, sei lá. Ao mesmo tempo que tenho medo de deixar meu filho com ele e essa convivência ser negativa.
    Não consegui vaga na creche, meu marido fica cobrando sexo e tem horas que eu simplesmente abro as pernas e finjo, me previno (claro), pois não quero isso tudo de novo e assim vai. Só tenho um momentinho de folga quando ele cochila de tarde (agora por exemplo) e quando é de noite (meu marido fica me cobrando pra ir dormir, um saco!). O resto do dia é uma correria, acabei largando a casa e lado, faço o básico pra não virar um chiqueiro e quando meu marido chega ele faz mais alguma coisa, estou deprimida, tomo remédios controlados escondido, estou desmotivada, infeliz, sinto falta de mim, da minha independência, vivo correndo atrás do filho pra ver qual arte ele está aprontando, amo meu filho, me sinto culpada as vezes, mas estou cansada deste "mundo florido da maternidade". Para outras pessoas você precisa fingir, mas precisa fingir bem mesmo ... assim é a vida. Não vejo a hora dele crescer e eu me ver tomando um vinho com um livro, abajur e um gato do lado (animal) rsrs. Sinto inveja das minhas amigas solteiras e sem filhos quando as vejo no facebook. Bem, ainda bem que não somos as únicas com estes sentimentos e percebemos que somos normais.
    Beijos a todas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa!!! Fiquei angustiada com esse seu relato. Mas calma, quando seu filho crescer mais as coisas vão entrando nos eixos. Meu filho hoje está com 8 anos, claro q sempre haverá preocupações, mas agora me sinto bem menos sufocada. Foi uma luta conseguir terminar a faculdade, mas meu marido me ajudou muito. Vai dar tudo certo pra vc tbm. Seja forte. Lute.

      Excluir
  56. Odeio ser mãe. Nunca quis passar por essa merda e só eu sei o trabalho que eu tenho com esse traste . Não concordo com essa ideia podre que mulher só se realiza se tiver filho. Idiotice de um mundo basta. Criar um filho é uma merda , vc se anula o tempo inteiro pra quê? A merda da criança não quer nem tirar boas notas . E vc faz o que? Praga . Filho é uma titica

    ResponderExcluir
  57. Eu era feliz e não sabia.jamais achei q ser mãe é uma merda,VC tem q abdicar de tudo q gosta em troca de choro de criança, a maternidade foi a pior coisa q me aconteceu é uma pena q não tem como voltar atrás, estou muito infeliz,minha vida ta uma droga,tenho vontade de sumir e abandonar tudo

    ResponderExcluir
  58. Eu gosto de ser mãe, durante anos queria ser mãe e ver uma parte minha crescer, queria vê-lo ser melhor do que eu e acreditava que para isso eu teria que melhorar aos poucos, em cada fase da vida desse pequeno Ser.
    Em 2012 fiquei de forma inesperada gravida aos 32 anos e em 2013 ele chegou! Por conta de uma série de fatores que vivíamos, aquele momento foi bastante angustiante, além de outras coisas mais... com 20 dias fui diagnosticada com depressão pôs parto e tive que entrar com reposicao hormonal. Meu marido passou a se recusar a dormir comigo, pois eu trouxe nosso filho para nosso quarto, para facilitar na amamentação da madrugada, mas ai nós o acordávamos... Ele nunca me cobrou nada, mas se ausentou. Passou a viajar a trabalho e a sempre ter que ficar até tarde. Nunca entendi isso, pois no começo eu não pensava em filhos devido a minha profissão e ele me implorava! O tempo foi passando e hoje meu filho tem 3,5 anos e somos os melhores amigos. Fico exausta e perco o sono, pois minha cabeça parece não parar... Durmo pouco, e no dia seguinte, quando a frase "o mae" começa a se retir demais tenho a sensação de que vou surtar e jogá-lo pelo terraço, mas ai olho para ele e rio de mim mesma! A canseira aos poucos vais sumindo, começo a ouvir um silêncio na minha cabeça e por não ter dormido ainda corro até o quarto dele e o vejo lá, dormindo e logo penso, como vc é lindo enquanto dorme... Rsrsrsrsrsr... Quanto ao meu casamento, nunca superei as inúmeras coisas que aconteceram durante o primeiro ano do meu filho (foram várias e nem vale a pena trazer aqui), tenho saudades da época que eu não tinha meu filho, mas não por ele, mas por mim e meu marido. Perdemos a paciência um com o outro e embora não nos descontrolamos na frente do pequeno, aos poucos ficamos mais e mais distante. Sinto falta da época que nossas diferenças importavam ao ponto de virar discussão, e não que não importa mais, mas depois de tudo, é como se eu olhasse para o que não gosto e logo depois não lembrasse mais. Alguns chamariam de maturidade kkkkkk, chamo de descaso! Estou tão cansada no fim do dia que quando percebo que viraria discussão, eu olho e digo, é isso q vc acha? Então blz, dane-se. Tem dias que ele está vendo o jornal e eu correndo com a janta, o banho, o suco, e depois a cama e tenho vontade de chorar, mas ai olho para meu filho e penso "vc não vai perceber esse sentimento meu, não se sentirá culpado!" E aí continuo... Até que os dois dormem e eu, perco o sono... Sem emoções, sem papos do mundo business, totalmente alienada a política e situação no mundo, logo eu que já fui membro de um conselho executivo de um grande grupo! Hoje? Sou mãe, mas e amanhã, quando ele me pedir para parar 1 quarteirão antes, pois não quer ser visto comigo? Como farei? É isso... Bjs Aline!

    ResponderExcluir
  59. Tem horas que quero sumir e largar tudo... meu filho tem quase dois anos e não me obedece eu choro o tempo todo de desgosto o pai dele me abandonou grávida e tenho que ser pai e mãe... queria morrer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenha calma e paciência. Tire esse pensamento de morte da cabeça. Criar um filho é difícil, ainda mais sozinha. Mas quando seu filho crescer mais um pouquinho as coisas vão começar a entrar nos eixos. Fique bem!

      Excluir
    2. Às vezes também tenho vontade de morrer! Acho que ter tido um filho foi o pior passo que eu dei na minha vida, ainda mais que eu crio o meu filho sozinha...Dor no coração e uma tristeza profunda...

      Excluir
  60. Exatamente isso! Estou detestando a maternidade, se eu pudesse voltar atrás,não teria filho! Ainda mais eu que sou mãe solo,e o pai do meu filho é um cretino que não ajuda com nada! Texto perfeito!

    ResponderExcluir
  61. Tenho duas filhas com 6 e 3 anos, sinto me esgotada. Brigas, choro, pirraça. Não durmo direito fazem 3 anos, minha caçula nunca dormiu como se deve, quando nasceu dormia 2 horas por noite e 45 minutos durante o dia, a unica coisa que era intermitente era o choro. Quando engravidei das duas tinha sindrome do panico,meu sintomas haviam sumido, depois que a caçula nasceu eu não comia,não bebia,ainda tinha a de 3 anos para cuidar sozinha.Fiquei tão ruim que quase capotei o carro com a mais nova berrando na minha cabeça.Para ajudar meu transtorno de panico voltou. Voltei a tomar remédio. Me sinto cansada o tempo inteiro,tudo que faço é mamadeira, escola, almoço, apartar briga, gritar feito maluca com elas. As vezes me pergunto o eu fui caçar com minhas próprias mãos.Vida social não existe mais, tudo que se ganha gasta com elas.Elas tem melhor pai do mundo, que está andando de sapato furado para elas terem o q vestir e calçar. Não diria q eu não as teria, só está pesado, cansativo, esgotante. Antes eu fazia esporte, artesanato, lia...Tem 3 anos que não coloco a cara p fora,larguei a faculdade, não dei conta. As vezes me sinto a pior mãe do mundo!!! Outro dia fui reclamar com minha filha mais velha que a casa vivia de brinquedo espalhado ela me olhou e responde: se não queria a casa limpa porque teve agente. Gente a criatura tem seis anos!!! lha saí p quintal contei até 100,para não dar um tapas nela. tive uma mãe muito violenta que espancava por tudo, prometi a mim mesma não ser como ela. Sinceramente me sinto perdida...obrigada por poder contar;

    ResponderExcluir
  62. Incrível como um depoimento pode ser tão atual, pior é descobrir que o tempo passa, eles crescem e nada muda, hoje meu filho tem 12 anos e outro dia ele me perguntou: mãe se vc pudesse voltar no tempo, num tempo em que vc era muito feliz, qdo seria? Não pude responder, a resposta seria antes de ser mãe. Antes eu pensava, serei mais feliz qdo ele não precisar de mamadeira, tomar banho e vestir-se sozinho, comer sozinho, aí começa a outra fase, escola, não quer estudar, não sai do vídeo game, eu trabalho de dia e de noite, não posso dormir qdo chego de uma noite de trabalho, tenho que acorda-lo, ver se fez lição, se tem dúvidas, fazer o almoço, levar pra escola..... Há dias só tenho vontade de chorar, esgotada, sentindo-me culpada por me arrepender de ter filho. Mas o que é mais incrível é que se ele se queixa que foi hostilizado, no caso do meu filho, ele está em fase de adaptação na nova escola, nossa, pensar que ele pode estar sofrendo, dói tanto, tanto, e aí a gente pensa como posso não amar? É muito difícil e é por isso que digo, não nasci pra ser mãe, dizer que uma mulher sem filhos não é feliz é um absurdo.

    ResponderExcluir
  63. Gente acho que vou explodir, tenho uma filha de 3 anos e um menino de 3 meses.. Ele quer ficar o dia inteiro no peito e quando ele dorme a mais velha faz questão de acordar ele. Estou nesse momento com ele mamando ela puxando minha orelha, meu apartamento está uma bagunça, preciso lavar e dobrar roupas.
    Meu marido sai de casa 12:00 e chega 00:00 e quando chega sabe reclamar e quer um tempo para ele, sendo que eu não tenho esse tempo para mim.. faço as duas crianças dormirem.. faço tudo em casa.
    Eu Estou Definitivamente tentando em colapso.
    Amo meus filhos incondicionalmente porem estou ficando louca.

    ResponderExcluir
  64. Bom, depois de ler depoimentos como esses, vou contar a minha historia. Tenho dois filhos maravilhosos, saudáveis e os amo muito. Um casal. A mais velha com 12 anos e o mais novo com 10. Mas sinto exatamente a mesma coisa que quase todos vcs. Sabem por que? Porque filhos são para o resto da vida. E quando são adolescentes são muito exigentes. Tenho que ser até hoje, 03 pra dar conta do recado. Sem carro, desempregada, não tenho ajudante em casa. Leva e traz de meninos na escola e atividades no contra turno, cuidar de todo o serviço da casa e ainda por cima, não ter que adoecer porque nessa fase, vc precisa saber com quem estão andando. Gente, quando chega fim de semana, marido deixa meninada no eletrônico pra poder assistir futebol, filmes, jornal. Sabe há quantos anos não leio um livro inteiro? Há muitos anos. Enfim, vcs que tem filhos ainda pequenos, deixem seus filhos ajudarem vcs nos afazeres domésticos, ensinen-lhes a ter prazer em fazer um suco, arrumar a mesa, arrumar a cama do jeito que eles sabem. Elogiem mesmo se não fizerem com perfeição. Lavar o copo e o prato que sujaram. Pode ter ficado ruim. Elogiem e diga que podem melhorar. Porque vou ser franca: se vcs acham que quando eles crescerem, vão dar valor ao seu esforço? Infelizmente a maioria dos casos, não. Adolescentes são exigentes, arrogantes, petulantes e ingratos. Estou com as mesmas sensações que todas vcs mães. Exaustão, frustração, tristeza. E já confesso, maternidade é servir, muito embora me pareça mais escravidão. Deus nos dê amor no coração, perdão a nós mesmas por sermos tão humanas, força e fé. Porque as fases apenas vão mudar, e os filhos ainda vão estar lá.

    ResponderExcluir
  65. Ainda não sou mãe, sou apenas filha, tenho 25 anos e estou prestes a me casar e ir embora (graças a Deus!) e ler tudo isso me deixa mais triste e sabe porque? Porque minha mãe vive estressada e no limite como vocês. E sabe o que acho ingrato? Sou uma boa filha, trabalho, faço faculdade com 100% de bolsa devido aos meus esforços nos estudos e vivo mais fora de casa do que aqui. Acho difícil as vezes viver aqui em casa. Ela grita o tempo todo e vive expondo o quanto a vida dela é insuportável e o quanto ela se sente escrava do lar. Mais sabe o que acho interessante, não pedi pra nascer, nao pedi pra estar aqui, quem quis e decidiu por isso foi ela (ela fez até tratamento pra engravidar). Eu faço tudo que posso pra ser uma boa filha, conversarmos sempre, fico quieta quando ela começa com as reclamações e choro sozinha deitada no meu quarto quando ouço alguma reclamação quanto a mim sem nem mesmo retrucar pq entendo q a vida dela é complicada. Mais acho injusto ouvir isso todos os dias, ou pelo menos quando estou em casa, pelo fato de não ter pedido pra vir ao mundo e também pelo fato de ser uma boa filha (não sou perfeita mais em vista de muitas filhas de hoje em dia, sou boa). Por favor, não façam isso com seus filhos, eles não pediram pra ser um estorvo na vida de vocês, e as que pensam em ser mae ainda, analisem primeiro, pois vocês vão sofrer e seus filhos também, a gente fica triste em ver vocês tristes e a gente diferente de vocês não teve escolha. Fiquem com Deus e vai dar tudo certo pra todos nós, filhos, mães e etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só completando o comentário acima antes que me achem uma ingrata, eu converso muito com minha mãe, ouço ela, elogio, abraço, compro sapatos, roupas sempre que vou comprar algo pra mim e toda data comemorativa faço questão de demonstrar o quanto ela é especial pra mim.

      Excluir
  66. Meu nome é Clarissa
    Sabe, se soubesse como a maternidade realmente é, jamais teria sido mãe. Eu era livre, feliz, estava trilhando caminhos bacanas. Quando fiz 2 anos de casada, as pessoas começaram a cobrar filho, foram cobrando e cobrando que acabei tendo. Parto normal é horrível, aquelas contrações, e ainda tive uma complicação e fiquei no hospital por 8 dias esperando uma bolsa de sangue.
    Achava que as pessoas que tanto cobrar iam me ajudar, ficar de cima e blá blá. Só que eles mal vem aqui, nunca me perguntam se quero ajuda ou se estou bem. No máximo brincam com ela 2 minutos e vão embora.
    Eu tô tão cansada dessa rotina, tenho vontade de chorar o tempo todo e não aguento mais viver só pra ela. Meu casamento está de mal a pior tbm. E olha que ela já tá com 1 ano e 6 meses.
    Foi muito bom ter encontrado esse texto! Espero que um dia as pessoas entendam o que realmente é ser mãe, pra só assim decidir se quer ou não, sem pressão da família e amigos

    ResponderExcluir
  67. Estava eu procurando alguma resposta para o que estou sentindo e encontro esse post e esses depoimentos.Disseram tudo, ninguém conta como é de verdade a maternidade, todos falam que é deliciosa, a melhor coisa da vida, só flores , mais essa parte ninguém fala! Acho que justamente porque tem muita gente para criticar.
    Sou mãe de primeira viagem, tenho um bebê que irá completar 10 meses agora dia 24. E acho que estou ficando louca, tô muito estressada, não tenho paciência nenhuma com ele, tenho dor de cabeça e de estômago todos os dias de nervoso. A minha gravidez foi planejada , mais nunca imaginei que seria desse jeito, não tenho mais tempo para nada, passo o dia atrás dele que agora está engatinhando quase andando , mexe em tudo que não deve , não dorme direito a noite nem durante o dia, para comer é um sufoco. Meu marido me ajuda bastante, só que não entende o que sinto , quando tento conversar com ele é falar sobre o assunto , ele fala que eu sou a mãe, que tenho que aguentar . Antes de eu engravidar trabalhava fora e pretendia voltar, só que quando chegou a época minha mãe acha um absurdo por um bebê tão novinho em creche e meu marido também achou bom eu ficar com ele. Mas agora me arrependo amargamente disso, não aguento mais passar os dias trancada em casa sem poder fazer mais nada da minha vida além de cuidar dele, choro todos os dias e quando tento conversar com as pessoas sobre o assunto só sabem me julgar.Meu marido concorda em eu voltar a trabalhar, mais minha mãe me condena por querer colocar o bebê na creche, acha um absurdo e faz o inferno da minha vida. Não sei mais o que fazer, me sinto tão culpada, não tenho mais um pingo de paciência com meu filho, grito com ele e depois me arrependo , tenho até vontade de bater nele mais me controlo. Na verdade acho que não nasci para ser mãe, mais agora que sou não tem mais o que fazer, tenho vontade de sumir, largar tudo e desaparecer.
    Me sinto a pior pessoa do mundo por ser assim, mais vejo que tem muitas na mesma situação.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...