Sou uma observadora nata das pessoas, dos lugares, das coisas do cotidiano... Sorrio, choro, me emociono, me deixo levar pelo mar de sentimentos que a vida tem a oferecer... Às vezes chata, às vezes insuportável, mas, às vezes, uma flor de pessoa, amável e delicada. Sou uma constante inconstante.. Sempre mais do mesmo, mas o mesmo diferente a cada dia... Quando tudo parece perdido, despedaço-me e renovo-me como a natureza para sentir-me novamente forte... Sou menina moleca, mãe dedicada, mulher serena, rebelde sem causa, despida de preconceitos e pré-noções... Sou um misto de várias coisas por aí que fazem de mim, simplesmente, Aline.

terça-feira, 29 de março de 2011

A última pedra

Por Roberto Shinyashiki 
Existem pessoas que não prestam atenção no que fazem e depois passam a vida inteira arrependidas pelo que não fizeram, mas poderiam ter feito, e se martirizam por seus erros.
Gosto de uma música que Frank Sinatra costumava cantar, My way. O curioso é que só fui prestar atenção na letra dessa canção quando escrevia este texto. Ela diz mais ou menos assim: “Se eu acertei ou se errei, fiz isso da minha maneira”.
Quando olho para trás, percebo que fiz muitas bobagens. Acertei bastante, mas também errei bastante. Quando olho para diante, tenho certeza de que vou acertar e errar bastante também. É impossível acertar sempre. Mas o importante é que não gastemos nosso tempo nem nossa energia nos torturando. A autocrítica pelo que não deu certo, além de ser nociva para a saúde, faz que a gente perca os passarinhos que a vida nos oferece no presente.
Um dia destes, um dos meus filhos me perguntou por que eu tomei determinada decisão estúpida tempos atrás. Respondi que me arrependia do que tinha feito, mas expliquei que, naquele momento, minha atitude me parecia lógica. Se eu tivesse o conhecimento e a maturidade de hoje, certamente a decisão seria diferente.
Por isso é que lhe digo: não se torture por algo que não deu certo no passado. 
Talvez você tenha escolhido a pessoa errada para casar. 
Talvez tenha saído da melhor empresa onde poderia trabalhar. 
Talvez tenha mandado uma filha grávida embora de casa. 
Não importa o que você fez, não se torture. 
Apenas perceba o que é possível fazer para consertar essa situação e faça. 
Se você sente culpa, perdoe-se. 
E, principalmente, compreenda que agiu assim porque, na ocasião, era o que achava melhor fazer.

Há uma história de que gosto muito: um pescador chegou à praia de madrugada para o trabalho e encontrou um saquinho cheio de pedras. Ainda no escuro começou a jogar as pedras no mar. Enquanto fazia isso, o dia foi clareando até que, ao se preparar para jogar a última pedra, percebeu que era preciosa!
Ficou arrependido e comentou o incidente com um amigo que lhe disse:
– Realmente, seria melhor se você prestasse mais atenção no que faz, mas ainda bem que sobrou a última pedra!
Existem pessoas que não prestam atenção no que fazem e depois passam a vida inteira arrependidas pelo que não fizeram, mas poderiam ter feito, e se martirizam por seus erros. Se você está agindo assim, deixo-lhe uma mensagem especial: não gaste seu tempo com remorsos nem arrependimentos. Reconheça o erro que cometeu, peça desculpas e continue sua vida.
Você ainda tem muitas pedras preciosas no coração: muitos momentos lindos para viver e muitos erros para cometer.
Aproveite as oportunidades e curta plenamente a vida. 
Curta os passarinhos. Eles são os presentes do universo para você!

Roberto Shinyashiki é psiquiatra, palestrante e autor de 12 títulos, entre eles o “Tudo ou Nada” lançado este mês, “Heróis de Verdade”, “Amar pode dar certo”, “O sucesso é ser feliz” e “Carícia essencial”.


22 comentários:

  1. Que Liindo Aliine!
    Divino mesmo,realmente não podemos viver a vida toda nos martirizando por nossos erros,pois é com eles que nos tornamos seres melhores,e crescemos cada vez mais,expande também nossa visão para tais coisas a partir do momento que você já pisou em tal território.
    O importante mesmo é valorizarmos os momentos de alegria,pois deles sim nunca virão iguais,poderão vir mais intensos ou menos,então cabe a nós aproveitarmos no agora.
    Querida,um ótimo fim de tarde pra ti viu?
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oiii! Tudo bem?
    Obrigada por sua aconchegante visita e pelo carinho de sempre.
    Vim aqui me encantar com suas palavras e com os textos, aproveito também para lhe desejar uma excelente semana.
    Bjos no coração e um forte abraço!
    Se cuida.

    ResponderExcluir
  3. Aline, já me arrependi muito por coisas que não arrisquei. Mas hoje, ninguém me segura, corro atrás, me estrepo, mas não me arrependo de ter tentado.

    Querida,

    Estou participando do concurso que vai eleger o escritor do prefácio do livro do cantor e compositor Leoni. O livro chama-se “Manual de sobrevivência no mundo digital”. Já escrevi o meu texto e o link é: http://olivreiro.com.br/prefacio_leoni/prefacio/41

    Não há a necessidade de cadastro e nem solicitar email ou senhas. É somente colar o link acima no navegador ou ir ao meu blog que tem link direto, ler e se for do agrado votar.

    Somente isso. Os dez mais votados, passarão pela análise do cantor e o escolhido participará do livro final. A votação é até o dia 20/04/2011.

    Conto com você!

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  4. Olá querida, eu adoro os textos do Roberto Shinyashiki. Ele fala verdades. Bastante realista. Beijinhos estalados.

    ResponderExcluir
  5. Ninguém jamais calculou com exatidão, nem mesmo os poetas, o quanto suporta um coração

    ResponderExcluir
  6. Nossaaaa que texto encantador! Eu precisava mesmo ler um desses pra ter mais certeza do que faço e nao me arrepender do que ja fiz, pq realmente me culpo as vezes por algumas atitudes, mas eu quero muito fazer o que eu gostaria de fazer, acho que vou tomar coragem, afinal pode ser uma das pedras preciosas que estou jogando fora se nao o fizer!!

    Adorei o texto! muito bom mesmo! Obrigada por proporcionar essa leitura tao agradável!

    beijos!

    ResponderExcluir
  7. Você ainda tem muitas pedras preciosas no coração: muitos momentos lindos para viver e muitos erros para cometer.

    amiga amei isso...
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Ah lindo post Aline!
    Nao podemos viver nos martirizando por erros já cometidos,
    pode parecer cliche e mesmo que seja, os erros nos ajuda a crescer.

    Graças a Deus ha sempre um amanha, e junto com ele, a oportunidade de um novo recomeço.
    Linda noite pra ti minha querida!

    Bjs & abraços!

    ResponderExcluir
  9. Oi querida,
    Amei o post!
    Todas as experiências da vida, mesmo aquelas que não tivemos coragem de vivenciar, sempre acrescentam. Se erramos, podemos aprender com aquele erro e da próxima vez evitar cometê-lo. Se deixamos uma oportunidade passar por medo de arriscar algo novo e depois percebemos que valia à pena tentar, da próxima vez talvez sejamos mais audaciosos. Afinal é de pedras e flores que se constrói o caminho da vida, não é?
    Bjs carinhosos!

    ResponderExcluir
  10. Um belo texto que passa otimismo e esperança.Há momentos que uma leitura como esta faz muito bem.
    Abraços e tudo de bom pra ti!

    ResponderExcluir
  11. Já li alguns dos livros dele e assisti a uma palestra maravilhosa! =)

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. É A GRANDE DADIVA DA VIDA PODER VOLTAR NÃO DA MAS PODEMOS FAZER UM FIM DIFERENTE...NÉ
    BJS
    OTILIA

    ResponderExcluir
  13. Oi Aline, não sou de ficar remoendo o que passou, meu marido sempre me pergunta se me arrependo de algo na minha vida e quando digo que não, sinto que ele não acredita muito.
    Sou uma pessoa que costuma pesar os pós e contras e penso que para toda ação a uma reação.
    Então, quando decido algo, não tenho por que me lamentar, mesmo que não tenha dado certo.
    As vezes claro, bate um certo arrependiemento, mas logo me esqueço e sigo adiante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Passando para agradecer a visita e desejar um ótimo final de quarta. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  15. Florr,passando pra dizer que tem selinho pra ti lá no cantinho de selinho,passa lá pegar qndo puder?
    Bjinhus

    ResponderExcluir
  16. Oi Aline,parabens otimo texto !!me fez refletir bastante!!e verdade nao adianta ficarmos chorando o leite derramado,temos que levantar sacudir a poeira e continuar lutando a vida continua
    Eu tinha essa mania de ficar remoendo o passado ,mas hoje vejo que de nada adianta ,temos que aprender com os erros para crescermos e evoluir como seres humanos a cada dia .
    E prestar atençao para nao jogar fora as pedras preciosas .

    ResponderExcluir
  17. Oi Aline, vim informar que seu blog ganhou o Oscar de melhor blog coadjuvante!
    Parabéns menina!
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Adoro o teu blog, esta simplesmente lindo!!
    Cada promenor, cada detalhe..acho fantastico *.*
    tou a seguir ;)

    ResponderExcluir
  19. Gostei muito do seu comentário lá no blog, e gostaria de lhe dizer que a maturidade não tem a ver com as nossas preferências, e sim com a forma com que lidamos com as dificuldades. Se aniversários não lhe inspiram e você não deseja comemorá-los está exercendo seu direito de livre escolha e não incomoda ninguém. Outras coisas provavelmente lhe fazem feliz e, para você, elas são de maior importância.
    Beijo carinhoso,
    Adri

    ResponderExcluir
  20. Oiii...
    É sempre bom vir aqui e receber essas energias que fluem de suas palavras.
    Energias que inspiram e acalmam, que agitam e nos poe pensamentos e ideias na cabeça.
    Bjos no coração e tudo de bom pra vc. É bom poder estar aqui...

    ResponderExcluir
  21. Floor,voltei pra dizer que tem selinhos pra ti lá no blog,passa lá pegar qndo puder
    http://evidentesselinhosemimos.blogspot.com/2011/04/recebi-esses-3-selos-amados-de-pessoas.html
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Oi miguxa...brigada pelo carinho,mas a cada dia que passa to mais triste...escrever no blog é o unico lugar q posso me expressar...to passando por uma fase q pensei q nunca ia passar...bjim

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...